Meu PRIMEIRO PÓDIO. Uma conquista emocionante e divertida

Já era final de corrida, faltavam talvez, 40 minutos para o final da competição, de três horas, no Kartódromo da Granja Viana, no município próximo de Cotia. Todos haviam andado com o nosso kart, primeiro Kart que eu e o Marçal tínhamos comprado juntos. Tinha dois motores estacionários que somavam uns treze HPs. Bom, voltando, eu estava ali esperando a minha vez de entrar na pista depois que tooooda a família e amigos do Marçal andassem. Vestido com meu macacão verde, capacete, luvas, enfim, tudo o que era exigido pelos zelosos administradores e organizadores da Granja, quando finalmente o Kart entra pro Box para a troca de pilotos. Impressionante, eu estava ali dentro do meu kart estreando em competições oficiais, saindo do Box, passando pela dois, indo até a curva atrás da torre, esse, grampinho, acesso à reta de cronometragem, mergulho, bacião, reta dos boxes, minha primeira volta! Freada da reta dos boxes, eu pensando que que o kart tinha umas vibrações esquisitas, mas … dane-se. Vou em frente, mais uma volta completada e aproxima-se a freada da reta dos boxes novamente e… cadê o freio? Pô, acabaram com o freio do Kart! Me deixaram o osso. Agora vou ter que abandonar a corrida. No caminho até o Box, bravo, pra caramba, xingando dentro do capacete,, percebi que conseguia contornar as curvas sem frear; apenas virando o volante de forma a criar mais atrito das rodas dianteiras e isso era suficiente para ir em frente. Chegamos em sexto lugar. E olha que tinham mais que seis karts na pista! Então , da tensão inicial, passei a um nirvana, uma viagem psíquica, que alguns precisam de substâncias exógenas para vivenciar, comemorando sozinho dentro do capacete e as curvas passando, mergulho, bacião, curva pra esquerda para acessar ao pátio fechado… Lembrei que estava sem freio, perto da entrada do pátio fechado e comecei a gritar que estava sem freio. O Bandeirinha percebeu e veio atrás. No Pátio fechado, os karts que já tinham chegado esperavam a oportunidade de serem pesados em fila dupla e BAM. Acertei DOZE Karts. Era piloto voando pra todo lado (afinal estávamos na Granja), mecânicos também. Baixou a poeira meu pé doía muito, mas pensando na cena que acabara de viver, eu ria demais e não conseguia explicar o que acontecera. O pessoal já se organizando pra vir pra cima de mim e chega o bandeirinha ofegante, mas salvador, dizendo : Ele avisou, ele avisou, pêra aí e deixa disso. Eu não conseguia sair do kart, porque tinha quebrado dois artelhos (dedos do pé) e estava prestes a ser linchado, mas feliz e rindo muito. Meu primeiro pódio.

____

Atenciosamente

Carlos Burza

Anúncios
  1. #1 por Lipe Paíga em 22/10/2010 - 15:23

    Muito bem escrito, muito bem humorado e muito boa a tirada de sarro da família do Marçal! hehehe

    Abrasss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: